Sobre Marina Sá fotografia São Bernardo do Campo ABCDM

Marina Sá

Você não fotografa com a sua máquina, você fotografa com a sua alma

Olá, eu sou a Marina. E a fotografia pra mim é dádiva.Ser mãe foi a experiência mais intensa que já senti: O amor de dois que se funde e gera vida. Uma célula que se divide e forma uma pessoa. Uma semente que contém dentro de si uma vida toda... Um ciclo perfeito! E comparo o ato de fotografar a esse momento: Criação, gerar histórias, gerar momentos. A fotografia não pode ser encarada como uma profissão mecânica: Prepara, clica, baixa, edita, imprime. Assim como uma semente, a fotografia gera vida, lembranças, recordações, lágrimas e sorrisos. A fotografia faz reviver não uma cena, mas toda uma história. Pergunte a uma noiva o que ela vê num clique de sua entrada na igreja, por exemplo. Ela vê sua alegria, seu vestido, seus convidados. Mas vê também as provas do vestido, a escolha da decoração, o tempo que passou vendo revistas e escolhendo maquiagem e cabelo. E mais: Vê a ansiedade dos dias que se aproximavam daquele momento, o medo de algo dar errado, a alegria de estar a minutos de dizer sim para o homem de sua vida. Ah, o noivo! Ela vai ver naquela mesma foto o dia em que ele a pediu em casamento, como se conheceram. Uma foto carrega uma história. E essa história merece ser contada em detalhes.Assim como as gravidinhas merecem ser olhadas como mulheres lindas que são, fábricas de gente, usina de sensibilidade e amor. Toda mulher fica linda esperando neném!Penso comigo que os antigos estavam certos, quando se reuniam uma vez ao ano para fazer as fotos da família e dessa forma guardar pra sempre os rostinhos, tamanhos e carinhas das crianças e os grisalhos desenhando a maturidade nos cabelos dos mais velhos. Por isso escolhi ser fotógrafa. Porque amo histórias de amor. E aprendi a recontá-las em detalhes e cores através do meu trabalho que amo realizar. Não é a câmera, não é a fotógrafa. É a poesia. É o dom que não veio de mim. Me foi dado pelo Criador de toda a vida.